CMS realiza solenidade militar de despedida do 7º Contingente de Força de Paz Batalhão Haiti

  • Imprimir
  • E-mail

O Comando Militar do Sul (CMS) realizou no dia 11 de maio a solenidade militar de despedida do 7º Contingente de Força de Paz Batalhão Haiti – “Força Pampa” em frente a Catedral Diocesana de Santa Maria/RS. A solenidade foi presidida pelo Comandante Militar do Sul, General-de-Exército Carlos Alberto Pinto Silva, contando com a presença de autoridades civis e militares que presenciaram durante a formatura a entrega da Bandeira do Brasil e da cidade de Santa Maria ao Comandante do 7º Contingente de Força de Paz Batalhão Haiti – “Força Pampa”, Coronel da Arma de Infantaria, Júlio César de Sales e a benção à tropa.

 

Contingente de mais de mil militares rumo ao Haiti

Em janeiro de 2007, no 29° Batalhão de Infantaria Blindado (29º BIB), foram iniciados os treinamentos da tropa que irá compor o 7° Contingente Brasileiro que embarcará para o Haiti. A data do embarque ainda será confirmado, podendo ser no final do mês de maio/início de junho. A tropa é composta por 1.080 militares que foram submetidos a exames de saúde, testes físicos e psicológicos. Os militares passaram também por treinamentos específicos como aulas do idioma francês e o dialeto falado pela população local, o creole. O efetivo do 7º Contingente da MINUSTAH tem como base militares do 29º Batalhão de Infantaria Blindado, unidade subordinada à 6ª Brigada de Infantaria Blindada. A 4ª Companhia de Cavalaria Mecanizada é constituída com base nos militares das 1ª e 2ª Brigadas de Cavalaria Mecanizadas, todas essas Grandes Unidades integrantes da 3ª Divisão de Exército, "Divisão Encouraçada".  Além desses, participam do Batalhão militares de diversas unidades e subunidades do Comando Militar do Sul de diversas cidades do Estado como: Santa Maria (370 militares), Santa Cruz do Sul (179 militares), Porto Alegre (40 militares), Alegrete (31 militares), Uruguaiana (23 militares), São Gabriel (19 militares), Santiago (03 militares), Santa Rosa (17 militares), Santo Ângelo (03 militares), São Luiz Gonzaga (16 militares), Rosário do Sul (05 militares), Quaraí (12 militares), Itaqui (13 militares), Cruz Alta (02 militares), Bagé (02 militares), São Borja (18 militares), etc. Também compõem o Batalhão Haiti militares de Manaus (AM), Salvador (BA), Brasília (DF), Goiânia (GO), Dourados (MS), Belém (PA), Teresina (PI), Petrópolis (RJ), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Florianópolis (SC), além de 31 militares do Exército Paraguaio.

Estágio Avançado


  Nesta semana, tiveram início as atividades do Estágio Avançado do 7º Contingente Militar Brasileiro no Haiti. Este exercício foi desenvolvido pelo Centro de Instrução de Operações de Paz (CI Op Paz) e aplicado ao Batalhão Haiti até o dia 10 de maio. Neste exercício o  Batalhão recebeu uma Área de Responsabilidade figurada, na qual teve de desenvolver diversas ações. Participaram desse exercício militares, do Centro de Instrução de Operações de Paz, Centro de Avaliação de Adestramento do Exército e de diversas Organizações Militares da Guarnição de Santa Maria, além dos militares do Batalhão Haiti que estavam em treinamento. Complementando as ações do pessoal militar, o exercício contou com o apoio de acadêmicos de diversos segmentos e de profissionais de imprensa inseridos no contexto do exercício (simulação das atividades quotidianas e operações realizadas no Haiti). Além da cobertura diária dos eventos, algumas situações fictícias, essenciais ao exercício, foram desencadeadas com o auxílio de jornalistas e acadêmicos. Entre elas pode-se citar: relacionamento com ONG e organizações internacionais, operações civis-militares de ajuda humanitária, relacionamento diplomático, etc. Estas situações são imprescindíveis para adestrar as diversas células e sistemas operacionais do Batalhão de Força de Paz, que está materializando no Haiti, a capacidade que o Exército Brasileiro possui em operações dessa natureza.
O Centro de Instrução de Operações de Paz foi criado em 2005 e tem por missão contribuir para a pesquisa, o desenvolvimento e a validação da doutrina de emprego da Força Terrestre no que se refere às Operações de Paz. Dessa forma planeja e conduz cursos e estágios a fim de habilitar militares para o comprimento das diversas Missões de Paz.

Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti – MINUSTAH

O Haiti ocupa o terço oeste da Ilha Hispaniola - segunda maior ilha das Grandes Antilhas - no Mar do Caribe. O País possui superfície de 27.750 km² e foi o primeiro país de maioria negra a conquistar a libertação dos escravos, em 1794, e a independência, em 1804. Entretanto, é o país mais pobre da América Central. Considerando que a situação no Haiti ainda constitui ameaça para a paz internacional e a segurança na região, o
Conselho de Segurança decidiu estabelecer a Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), que assumiu a autoridade exercida pela Força Multinacional Interina em 01 de junho de 2004.
No ano de 2004, foi realizada, na Academia de Polícia do Haiti, a solenidade de instalação do MINUSTAH. Naquela oportunidade, ficou caracterizada a efetiva presença das tropas brasileiras, sob a égide das Organizações das Nações Unidas, em solo haitiano. No âmbito dos países contribuintes com tropas para missões dessa natureza, o Brasil ocupa a 16ª posição, revelando ser efetiva a cooperação nacional no esforço global direcionado à manutenção da paz e da segurança mundial. Cabe ressaltar que a participação do Exército Brasileiro no Haiti constitui um capítulo especial na história da Força Terrestre, empregando o maior efetivo de tropas desde sua participação na 2ª Guerra Mundial.
O sucesso da participação brasileira deve-se a eficiência em superar as dificuldades logísticas e adaptar-se às peculiaridades do ambiente operacional.


Preparação do BRABAT 7


Iniciado no dia 08 de janeiro de 2007, a preparação do 7º Contingente de Força de Paz - Batalhão Haiti (BRABAT 7) priorizou inicialmente o condicionamento físico e o preparo intectual de seus integrantes com aulas de inglês, francês e creole (idioma do Haiti). Foram executados vários exercícios durante o período de treinamento, simulando situações semelhantes às existentes no Haiti. Todas as instruções visaram ações de segurança, capacitando o militar reagir e agir sob condições que irá encontrar na missão real. Paralelamente as atividades de instrução foram executadas as medidas de imunização, inspeção de saúde, teste psicológico e cadastramento de militares para a obtenção do visto (passaporte) no exterior.
No transcorrer das atividades foi verificado o amadurecimento intelectual, operacional e principalmente profissional por parte de todos os integrantes da Força Pampa. Cabe ressaltar que o ideal de civismo e participação de uma missão no Haiti constitui um capítulo especial na vida de cada militar do BRABAT 7 e também da Força Terrestre que está empregando o maior efetivo de tropas desde sua participação na Segunda Guerra Mundial.
A fase final de preparação constituiu na realização de um exercício de Adestramento Básico e Avançado de Operações de Paz, com atividades e exercícios em áreas semelhantes às encontradas na capital Porto Príncipe. Os exercícios foram coordenados pelo CI Op Paz e também pelo Centro de Avaliação de Adestramento do Exército (CAAEx), com apoio das organizações militares locais.