Histórico

  • Imprimir
  • E-mail

 

O 1º órgão que dirigiu os rumos do Exército na região sul do país, foi a Inspetoria de Regiões, criada em 1921 com jurisdição  sobre os estados do Rio grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso, teve a sua sede em Porto Alegre por apenas quatro anos sendo logo em seguida transferida para o Rio de Janeiro. Em 1944, as Inspetorias de Regiões foram substituídas pelos Grupos de Regiões Militares, ainda com sede na capital federal.

Em 1946, o 1º Grupo de Regiões Militares transformou-se em Zona Militar Sul, a partir de 1952, com a reorganização do Exército Brasileiro, recebeu novas atribuições e responsabilidades e no ano seguinte passou a ter a sua sede em Porto Alegre, no prédio do Quartel General da 3ª Região Militar. De órgão de planejamento  transformou-se em comando operacional com responsabilidades administrativas, de disciplina e justiça sobre a área de sua jurisdição.

A Zona Militar Sul compreendia os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, subordinando todos os comandos de Grandes Unidades nas áreas das 3ª e 5ª Regiões Militares, com sede em Porto Alegre e Curitiba respectivamente. Esta divisão será mantida até 1956 quando ocorre a reestruturação do Exército Brasileiro. As antigas Zonas Militares transformam-se em 4 exércitos. Porto Alegre era  a sede do III Exército.

Mais tarde, o Ministro do Exército General Leônidas Pires Gonçalves, definiu através do Decreto Nº 91 778, assinado pelo Presidente da República José Sarney a nova a  divisão da Força Terrestre.  Os Exércitos e seus Comandos foram extintos em 1985, passando a serem Comandos Militares de Área diretamente subordinados ao Ministério do Exército.
O Comando Militar Sul tem como missão manter a soberania na região sul do Brasil, para tanto mantêm 50.000 militares, ou seja, um quarto do efetivo do Exército Brasileiro, 75% dos meios mecanizados existentes na força terrestre, 18 oficiais generais, 162 Organizações Militares e 20 Tiros de Guerra.

O Comando Militar do Sul, desta forma, é o legítimo herdeiro das honrosas tradições castrenses de bravura, sacrifício e desprendimento empenhadas na conquista e consolidação das fronteiras deste torrão meridional  do Brasil.